Se os portugueses estão cansados, imaginem os profissionais de saúde

Foram estas as palavras usadas por António Costa no, mês passado, numa tentativa de apelo ao dever cívico dos portugueses para ajudar os profissionais de saúde que há largos meses lutam diariamente contra a Covid-19. Como Enfermeiro, não poderia estar mais de acordo com esta afirmação. Estamos exaustos.

O primeiro caso de COVID-19 no nosso país foi noticiado no dia 2 de março, e desde então, todos os profissionais de saúde têm sido submetidos a uma pressão emocional e profissional sem antecedentes na nossa história.

Tal como noutros países, o nosso SNS estava bem longe de estar preparado para esta situação. Diariamente, assistimos a centenas de doentes nos serviços de urgência à espera de uma vaga para serem internados. Acumulam-se macas, ouvem-se choros e palavras de desespero. Não existem vagas nas enfermarias, nem nas unidades de cuidados Intensivos, praticamente em todos os hospitais públicos do país. A organização dos serviços tal como a conhecíamos está bem diferente. Deixaram de existir a maior parte das especialidades cirúrgicas, dedicando-se assim quase na totalidade ao tratamento de doentes infectados com SARS-CoV-2.

Para além dos hospitais estarem sobrelotados, não existem profissionais de saúde suficientes para cuidar de tantos doentes. Fazemos o máximo que podemos, indo buscar forças que nem sabíamos que existiam. Pensar apenas no número de ventiladores que existem, como diariamente assistimos na comunicação social, é inútil. Os cuidados intensivos, os internamentos e as urgências fazem-se de recursos humanos de qualidade, só isso é que salva vidas.

Nesta altura, ser Enfermeiro é assustador. Acordamos todos os dias com medo de receber a triste notícia de que mais um colega foi infetado. Estamos na linha da frente e não estamos seguros. Os materiais de proteção individual que existem nem sempre são os suficientes. No entanto, dia após dia, estamos ao lado de quem mais precisa. É extremamente duro assistir diariamente à degradação do estado de saúde destes doentes. O pânico que sentem, o medo da morte estampado no rosto. Rebenta-nos o coração vê-los ali, sozinhos e sem o apoio familiar que tanto precisam, compensado apenas por uma simples VídeoChamada .

Na cara dos meus colegas vejo a mesma dor, desgaste e preocupação que sinto. Estamos exaustos, mas não podemos parar. A maior parte das vezes dobramos turnos e trocamos de serviço, numa tentativa de compensar a falta dos colegas que estão em casa infectados e que não podem ajudar. Fazemo-lo com altruísmo, espírito de missão e patriotismo, com as férias canceladas e sem descanso à vista.

Ao longo dos últimos meses, o governo tentou com várias medidas contrariar este avanço avassalador do número de infectados, mas sem a ajuda de todos é impossível. De que valem os aplausos à janela, se não nos respeitam e violam as medidas do estado de emergência?

Por favor. Por vocês, por nós, fiquem em casa.


LUÍS MOUTa

Enfermeiro no Hospital de São João, no Porto. Pós-graduado em Enfermagem do Trabalho. Estudante no Mestrado de Enfermagem da Comunidade. Presidente da Comissão Política da Federação de Viseu da JS. Presidente da JS de Cinfães.

One comment

  1. Acredito que estejam cansados,como todos estamos, afinal de contas esta pandemia afeta a todos.
    Não vou generalizar, mas há profissionais de saúde muito incompetentes e incorrectos, sem qualquer tipo de empatia e que chegam até a maltratar verbalmente os utentes.
    Falo por mim, por experiência própria! Acho que só volto a um hospital quando estiver morta e para ir direta para a morgue.
    Sinto vergonha, vergonha alheia desse tipo de profissionais de saúde, que não tem noção nenhuma de como falam e do que dizem, que humilham e maltratam utentes como eu, em estado emocionalmente muito frágil e completamente debilitada por culpa de um outro profissional de saúde, que me receitou medicamentos só me fizeram ficar pior.

    Gostar

Deixe uma Resposta para Ana Guedes Costa Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s