A Joia da Coroa – SNS e os seus profissionais

Ao longo dos tempos, e principalmente após a pandemia que atravessamos desde 2020, que o Serviço Nacional de Saúde se tem revelado cada vez mais importante e necessário. Existe a necessidade de o manter tendencialmente gratuito e inclusivo.

António Costa, primeiro-ministro de todos os portugueses, considera o SNS como a “joia da coroa”, e bem! Diversos anos de desinvestimento no SNS, principalmente no período da troika, tornaram o SNS vulnerável e é cada vez mais imperativo que se reveja o modelo do mesmo, pois uma boa parte dos profissionais de saúde sentem e consideram que o SNS se encontra muito perto da linha vermelha, ou até mesmo muito perto de um ponto de não retorno. É necessário salvar o SNS!

Não é menos verdade que cada vez mais os grupos privados aproveitam as vulnerabilidades do SNS para crescerem e lucrarem com isso, colocando em causa, cada vez mais, o acesso à saúde.

Uma das grandes vulnerabilidades do SNS é a incapacidade de reter talento, profissionais de saúde e é por isso que importa rever as condições em que os mesmos trabalham, rever as carreiras das diversas classes profissionais e contratar em número suficiente para que os mesmos não se vejam obrigados a realizar um número surreal de horas extraordinárias para assegurarem a saúde dos portugueses, em detrimento da sua saúde e da sua vida pessoal. Resumindo, impera valorizar os profissionais de saúde, para que estes consigam continuar a realizar o trabalho extraordinário que fazem todos os dias.

Em março de 2020, António Sales, Secretário de Estado da Saúde, afirmou que “Os profissionais de saúde são a joia da coroa do Serviço Nacional de Saúde”, e afirmou muito bem. Sendo assim, é preciso que sejam verdadeiramente valorizados, pois sem eles não há SNS. É necessário ouvir os profissionais de saúde.

O SNS não necessita de pensos rápidos ou de medidas avulso, são necessárias estratégias visionárias e profundas que permitam melhorar a sua estrutura. É necessário descomplicar, é necessário que haja menos burocracia. O SNS carece de respostas de curto prazo que permitam a sua restruturação, os desafios que se apresentam não são conjunturais, mas sim estruturais, é necessário revalorizar carreiras, principalmente a nível da sua progressão e revalorização salarial. Não menos importante, e tendo em conta a “guerra” entre público e privado, é necessário rever os aspetos que diferenciam a carreira dos profissionais de saúde nos serviços de saúde privados e no serviço de saúde público, no caso: incentivos à investigação e formação, como também a flexibilização do modelo de trabalho, criando condições para que os profissionais se mantenham no SNS e que o mesmo se torne mais atrativo.

A polémica mais recente da falta de médicos (podia ser outra qualquer classe profissional do SNS), não é assim tão recente quanto isso, mas foi necessário entrar numa situação de rutura para que todos, políticos e não políticos, evidenciassem este assunto como fulcral.

Aliado às polémicas e problemas importantes, surgem sempre os suspeitos do costume, que a plenos pulmões exclamam “Aqui-d’el-rei”, aproveitando-se destas oportunidades para tentarem ganhar relevância, defenderem os seus interesses e inclusive imiscuindo-se em “seara alheia”, perdendo muitas vezes a razão.

Para que o SNS sobreviva é necessário que toda a sociedade, principalmente a classe política e os profissionais de saúde, remem para o mesmo lado, encontrando soluções. O SNS e os seus profissionais precisam de ser ouvidos e de ver uma luz de mudança ao fundo do túnel. Há muito que não se via os profissionais de saúde tão cansados e desmotivados, e quem pagará esta conta serão sempre todos os portugueses que necessitam de cuidados de saúde. É necessário dialogar.

Salvemos o SNS, transformando-o!

Vasco Lopes da Silva


Mestre e Enfermeiro Especialista em Enfermagem Médico-Cirúrgica pela Universidade de Évora.
Ex-presidente da Juventude Socialista de Santiago do Cacém. Deputado na Assembleia Municipal de Santiago do Cacém.
Presidente do Conselho Regional de Arbitragem da Associação de Natação do Alentejo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s